Siga-nos nas redes sociais

Cultura

Galeria : Círio Nossa Senhora de Tróia

Publicado há

no dia

DSC 0903 scaled

A Festa de N Sra do Rosário de Tróia é tão setubalense como as sardinhas assadas. Organizada pela paróquia de S. Sebastião e pelos pescadores de Setúbal festeja-se em Agosto este ano aconteceu nos dias 13, 14 e 15 de agosto. Estas festas são uma mescla particular de fé e profano e um espetáculo visual deslumbrante que revela a identidade cultural e religiosa dos marítimos de Setúbal.

Para entender a Festa de Tróia, há que compreender a importância das relações das famílias entre si e a importância do sentido de comunidade que as liga. Hoje em dia as gerações mais novas estão mais afastadas da pesca enquanto profissão, mas continuam a frequentar a festa que foi e é fundamental na transmissão de memórias, valores, sentimentos e devoção.

Existe um número elevado de crianças e jovens na festa e os mais velhos acreditam que estes a vão continuar – é algo que está no sangue, não se explica. Existe em todos o sentimento de que a festa não deveria acabar nunca.

Portugal

Moura: “Castelo da Lousa, Memórias de um monumento submerso”

Publicado há

no dia

por:

Castelo da Lousa 2023 cartaz 1 scaled

É inaugurada, na ala de exposições temporárias do Museu Municipal de Moura (antigo
Matadouro), na sexta-feira, 3 de fevereiro, às 16:00, a exposição “Castelo da Lousa,
memórias de um Monumento Submerso”.
Passaram 20 anos desde a inauguração da barragem de Alqueva e sobre o processo de
submersão e subsequente projeto de minimização de impacto patrimonial dos vários sítios
arqueológicos. Agora, o Museu da Luz concebeu uma exposição consagrada ao
arqueossítio do Castelo da Lousa. Embora submerso, este importante sítio, classificado
como Monumento Nacional, e o espólio resultante das escavações anteriores à sua
submersão, continuam a ser alvo de constantes estudos. Esta exposição é a mais recente
revisão histórica, arqueológica e de investigação sobre este sítio arqueológico.
O Castelo da Lousa é um peculiar sítio arqueológico do período romano localizado na
freguesia da Luz, que se encontra atualmente submerso pela albufeira de Alqueva.
A exposição “Castelo da Lousa, memórias de um Monumento Submerso” ficará patente até
28 de maio de 2023.

Continuar a ler

Portugal

Montemor-o-Novo: Exposição José Saramago 1922 – 2022

Publicado há

no dia

por:

Exp Voltar aos Passos... Jose Saramago 1 e1675360646560

De 1 a 28 de fevereiro, encontra-se patente na Biblioteca Almeida Faria, em Montemor-o-Novo, a exposição “Voltar aos passos que foram dados – José Saramago 1922-2022”. A exposição, cedida pela Fundação José Saramago, aborda a literatura e o pensamento de José Saramago, Prémio Nobel da Literatura. Com seleção e composição de textos por Carlos Reis e Fernanda Costa, e design de André Letria, esta exposição tem uma componente pedagógica que permite um acesso facilitado tanto ao público iniciante na obra do autor quanto ao leitor mais conhecedor da obra.

“Voltar aos passos que foram dados – José Saramago 1922-2022” marca o início das Comemorações do lançamento da obra Levantado do Chão, uma programação do Município de Montemor-o-Novo em parceria com a Fundação José Saramago, que este ano conta também com uma visita guiada à Fundação José Saramago e à Casa do Alentejo, no próximo dia 25 de fevereiro.

“Voltar aos passos que foram dados – José Saramago 1922-2022” está patente na Biblioteca Municipal Almeida Faria de 1 a 28 de fevereiro, durante o horário de funcionamento da Biblioteca.

Continuar a ler

Portugal

Exposição “Inspirações – A Mulher Afegã” em Beja

Publicado há

no dia

por:

326870816 729709295167666 3501471307631849380 n

Esta quarta-feira foi inaugurada , no Centro de Arqueologia e Artes de Beja, uma exposição de trabalhos realizados pelos alunos do 12º ano, do curso de Artes Visuais, da Escola
Secundária de Diogo de Gouveia – Beja, sobre “ A Mulher Afegã “ com inspiração na obra do Artista Plástico, Jorge Vieira.
O conjunto em exposição responde a um convite municipal, que se agradece, porque ele é relevante pela oportunidade de partilha que suscita, pelo facto de dar a conhecer à comunidade o trabalho desenvolvido pelos alunos nas escolas.
As obras expostas são o resultado de uma série de trabalhos de desenho que deram origem, consequentemente, no trabalho de escultura, em Terracota, realizados pelos alunos do 12º ano, do curso de Artes Visuais, da Escola Secundária de Diogo de Gouveia – Beja, no ano letivo 2022-2023.

Procurou-se que a temática fosse atual, e foi escolhida, de uma forma consensual, “ A Mulher Afegã “, no entanto todo trabalho teve como fonte de inspiração a obra do Artista Plástico, Jorge Vieira.
A temática levou a uma pesquisa e a um diálogo sobre a mesma. Concluindo-se que, apenas doze meses depois que assumiu o poder no Afeganistão, o Talibã acabou com quase todas as liberdades conquistadas pelas mulheres afegãs desde a passagem dos Islamitas radicais pelo poder, há duas décadas.

A partir do momento em que o grupo assumiu a capital Cabul, muitas mulheres temiam o impacto que o novo governo teria e, com o passar do tempo, elas descobririam que vários dos medos tornar-se-iam realidade.
Sendo a fonte de inspiração o trabalho / obra do Artista Plástico, Jorge Vieira, é importante salientar que os alunos fizeram um percurso de pesquisa sobre a vida e a obra do Artista, visitando também a exposição permanente que se encontra patente na casa do Governador no Castelo de Beja, para depois ganharem uma maior inspiração para o desenvolvimento e criação das suas peças.
Por um lado, as obras expostas poderão ser compreendidas como produções decorrentes do contexto de vida que as animam. Por outro, as mesmas estruturam-se segundo uma linha de inspiração do artista, Jorge Vieira, e integram-se no fio condutor da sua intervenção artística.

Continuar a ler

Portugal

Montemor-o-Novo: Ciclo Agustina Bessa-Luís iniciou na Theatron

Publicado há

no dia

por:

Agustina 164 e1675160770754

A Biblioteca Municipal Almeida Faria promove o Ciclo Agustina Bessa-Luís – 100 anos, entre janeiro e março de 2023, com três sessões onde se pretende ler e debater a obra e a vida de uma das mais importantes escritoras do panorama literário nacional.
A primeira sessão decorreu no serão de sábado, 28 de janeiro, pelas 21h00, na Sede da Theatron – Associação Cultural, precisamente na véspera desta importante associação montemorense completar 25 anos de existência e profícua atividade cultural. Num ambiente informal e de tertúlia, e num espaço bem decorado e acolhedor, trocaram-se opiniões e comentários, tendo como base a obra “O Poço e a Estrada: Biografia de Agustina Bessa-Luís”, de Isabel Rio Novo.

Quem não conhecia, foi despertado não só para a obra mas também para o percurso incomum de Agustina Bessa-Luís.
Após esse primeiro momento de conversa, os presentes aceitaram o desafio para ler em voz alta alguns excertos de livros de Agustina Bessa-Luís, acompanhados por Pedro Silva no Contrabaixo e André Roxo no Saxofone. Esta segunda parte do serão embalou os presentes até hora mais tardia, sinónimo de gostosas partilhas.
Entre os participantes, com a presença de membros da Theatron e da Comunidade de leitores, esteve também o vereador do pelouro da Cultura e Arte, Henrique Lopes.
A próxima sessão deste Ciclo tem lugar a 24 fevereiro, às 18h00, na Biblioteca Municipal Almeida Faria, e terá como mote Comentários a “A Ronda da Noite”, de Agustina Bessa-Luís.
​Se pretender requisitar os títulos em análise, e para outras informações, dirija-se à Biblioteca Municipal Almeida Faria ou contacte através do número de telefone 266 898 105 ou do e-mail biblioteca@cm-montemornovo.pt

Continuar a ler

ÚLTIMAS 48 HORAS