Siga-nos nas redes sociais

Alentejo

Portugal perde liderança no desenvolvimento do Hidrogénio Verde para Espanha

Publicado há

no dia

hidrogenio 1

O hidrogénio verde é considerado uma das principais fontes de energia limpa do futuro, e muito tem sido feito e legislado em relação a este tema. No entanto, ainda estamos longe de alcançar o que é necessário para alcançar uma economia de hidrogénio verde realmente sustentável.

Um exemplo disso é o que está a acontecer na Espanha, onde o porto de Valencia será palco da primeira operação de carregamento de hidrogénio verde na Europa, como parte do projeto H2PORTS, financiado pela União Europeia. Além disso, a Espanha também possui a maior central de produção de hidrogénio verde na Europa, com uma capacidade de eletrólise de 20 MW, localizada na cidade de Puertollano.

Em contraste, Portugal tem estado atrás na implementação do hidrogénio verde. Em 2019, o país assistiu ao primeiro leilão para licenças de produção de energia fotovoltaica, com preços incrivelmente baixos, foi um sinal claro de que Portugal estava pronto para investir em fontes de energia renováveis. No entanto, ao contrário de Espanha, que tem se destacado no desenvolvimento do setor do hidrogénio verde, Portugal ainda está longe de alcançar o seu potencial nesta área.

Em 2019, o Governo Português lançou a Estratégia Nacional do Hidrogénio, e também integrou o hidrogénio na regulamentação do sistema nacional de gás. No entanto, ainda há muito a ser feito para aproveitar ao máximo as oportunidades do hidrogénio verde. Por exemplo, os leilões para a produção de hidrogénio verde estão atrasados, e ainda há questões técnicas a serem resolvidas, como a definição de prioridades para a injeção de hidrogénio nas redes.

Além disso, é importante notar que, apesar do progresso em alguns projetos, como o projeto âncora de Sines, ainda hoje não se materializou.

A verdade é que, apesar de todas as ações tomadas pelo anterior Ministro da Transição Energética, o desenvolvimento do hidrogénio verde em Portugal ainda está longe do que é necessário. A Espanha tem uma dianteira significativa neste setor, com projetos já em funcionamento e outros em fase de testes e validação.

É preciso que Portugal tome medidas concretas para alcançar a meta de 10% de hidrogénio verde na matriz energética até 2030, estabelecida pela União Europeia. Isso inclui acelerar os processos de licenciamento, investir em tecnologias de produção e armazenamento de hidrogénio e criar incentivos para a sua utilização.

É importante destacar que o hidrogénio verde é uma peça fundamental na transição energética, pois pode ser usado como fonte de energia limpa e renovável, além de poder ser armazenado e transportado com facilidade. Se Portugal não agir rapidamente, pode perder o bonde da história e ficar paratrás no desenvolvimento do hidrogénio verde.

Embora o projeto âncora de Sines tenha sido visto como uma oportunidade para o país se posicionar na vanguarda do desenvolvimento do hidrogénio verde, infelizmente, devido a atrasos no licenciamento dos projetos, falta de definição de regras e prioridades na injeção de hidrogénio nas redes e outros problemas, Portugal acabou por perder a sua posição de liderança e está agora a tentar recuperar terreno perdido.

É importante que as autoridades e a indústria trabalhem juntas para garantir que Portugal não perca mais tempo e oportunidades no desenvolvimento do hidrogénio verde. É necessário tomar medidas para acelerar o processo de licenciamento, definir as regras e prioridades para a injeção de hidrogénio nas redes e investir em projetos e tecnologias que possam colocar o país novamente na dianteira do setor.

Em resumo, o hidrogénio verde é uma tecnologia crucial para alcançarmos uma economia de baixo carbono e para atingirmos os objetivos de neutralidade carbónica. Portugal tem o potencial de se tornar um líder no setor, mas precisamos agir rapidamente para não perdermos mais tempo e oportunidades.

Portugal

Ana Luísa Assis é a primeira mulher motorista do Município de Alcácer do Sal

Publicado há

no dia

por:

D53I6646 scaled

A Câmara Municipal de Alcácer do Sal conta, desde o dia 23 de janeiro de 2023, com o contributo da primeira mulher motorista da história do Município. Ana Luísa Assis, a exercer funções na autarquia desde maio de 2014, descreve o significado que tem para ela exercer estas funções como “um orgulho” por poder dar de si à terra que a viu nascer e crescer. Afirma, ao mesmo tempo, que o caminho para chegar até aqui foi “muito longo, com muito trabalho, sacrifício físico e monetário”, mas que olha para trás e sente que “valeu a pena”.

Ana Assis dirigiu ainda uma palavra de agradecimento a todas as pessoas que a ajudaram a trilhar este percurso, especialmente aos pais, e ao Município de Alcácer do Sal, pela oportunidade que lhe deu para cumprir um sonho de menina. 

Continuar a ler

Portugal

Sines: Autoridades retomam buscas por homem desaparecido

Publicado há

no dia

por:

polica maritima

© Reprodução / Autoridade Marítima Nacional
As buscas por um homem de 39 anos que desapareceu na noite de sábado ao largo de Sines retomaram esta terça-feira.

Uma embarcação e uma mota de água da Estação Salva-vidas de Sines, elementos da Polícia Marítima de Sines apoiados por um drone e bombeiros da Autoridade Portuária de Sines estão envolvidos nas operações.

O Gabinete de Psicologia da Polícia Marítima está prestando apoio aos familiares da vítima. O homem teria desaparecido enquanto praticava pesca submarina ao largo do cabo de Sines.

Continuar a ler

Portugal

Odemira recebe encontro de seleções regionais femininas de andebol sub-14

Publicado há

no dia

por:

Andebol

A vila de Odemira recebe no próximo sábado, 11 de fevereiro, o Encontro de Seleções Regionais Femininas de Andebol Sub 14, que decorrerá no Pavilhão do Complexo Desportivo Dr. Justino Santos. Será um dia dedicado ao andebol, com três jogos, de acesso gratuito, que vão colocar frente a frente as seleções das Associações de Andebol do Algarve, de Santarém e de Setúbal.

A iniciativa resulta de uma organização conjunta entre a Federação de Andebol de Portugal, a Associação de Andebol do Algarve e o Município de Odemira, em parceria com a Cautchú – Associação de Promoção e Desenvolvimento de Desporto.

O primeiro jogo está agendado para as 10.30 horas, será disputado entre a seleção da Associação de Andebol do Algarve e de Setúbal. À tarde o Encontro inicia-se às 14.30 horas, com um jogo entre a seleção da Associação de Andebol de Setúbal e Santarém. O último jogo está agendado para as 17.00 horas e será disputado entre a Associação de Andebol do Algarve e Santarém.

Note-se que as jovens atletas odemirenses Catarina Teixeira Paz, Celina Clasgens Viana, Oriana Guerreiro Costa e Madalena Amélio, jogadoras da Cautchú, foram selecionadas para integrar a Associação de Andebol do Algarve, em resultado do trabalho de formação que a Cautchú tem desenvolvido no concelho nomeadamente no Andebol Feminino, com o apoio do Município de Odemira.

Continuar a ler

Portugal

Mourão: Adagiário ou formas de falar com pássaros

Publicado há

no dia

por:

Museu da Luz Alexandre Delmar FB scaled

Exposição de Alexandre Delmar

O Museu da Luz, localizado na aldeia da Luz, concelho de Mourão, vai apresentar a exposição temporária “Adagiário ou Formas de Falar com Pássaros” do fotógrafo e videasta Alexandre Delmar.

A inauguração está marcada para o próximo dia 10 de fevereiro, pelas 16h00.

O ensaio fílmico-fotográfico “Adagiário ou Formas de Falar com Pássaros” apresenta a natureza frágil e resiliente das matérias, procurando um mapeamento ficcionado e tensionado do real. Este adagiário não procura revelar ou ocultar, mas potenciar um léxico que evoque possíveis compreensões do modo como somos e habitamos o tempo e o espaço. Talvez, com ele, seja possível comunicar com os pássaros.

A exposição/instalação “Adagiário ou Formas de Falar com Pássaros” fica patente no Museu da Luz a partir de 10 de fevereiro até 30 de abril de 2023.

O Museu da Luz integra a Rede Portuguesa de Museus e está aberto de terça a domingo das 09h30 às 13h00 e das 14h30 às 17h30.

Biografia

Alexandre Delmar (1982) é fotógrafo e videasta. É criador dos projetos A Caixa Negra (2009), dedicado à fotografia de arquitetura, e A Recolectora, sobre vegetação silvestre comestível (2021). Desde 2016, é o fotógrafo oficial da Casa da Música no Porto. Foi um dos artistas premiados na XXI Bienal Internacional de Arte de Cerveira com “A Fala das Cabras e dos Pastores” (2020). Em 2021 publica, em coautoria, o livro “Anotações sobre o Abaixo de Cão” pela editora Spector Books. Em 2022 integra o projeto ViViFiCAR, desenvolvendo “Chamar à pedra, fraga” em contexto de residência imersiva na freguesia de São Mamede de Ribatua, em Alijó, com a participação da comunidade.

Continuar a ler

ÚLTIMAS 48 HORAS